© 2010-2017 Fabiano Mixo

.
.
.

Cuidado!
Ele só tem umaooutro.

.
.
.

por um segundo toda poesia
por meio de todo segundo, poesia
por poesia segundo tudo
poesia
por
poesia

.
.
.

.
.
.

Meu primeiro, meu primeiro, meu primeiro;
Que de primeiro já são três.

Meu segundo, meu segundo, meu segundo;
Que de segundos já são horas.

Meu terço; minha oração.

.
.
.

Aventura- Se
Sai de mim e
Aventura- Te

.
.
.

Não esperei por você. Eu já não esperava.
Caminhava lento 1,2,3,4
Num minuto; toalha, calcinha, escova de dente.
Tudo espalhado pelo quarto.
Era você. Mas não era você 1,2,3,4

.
.
.

Na adolescência todo mundo é poeta.
O primeiro amor, a primeira punheta
todo mundo confesa.

Agora se vais, me leva.
Se volta, me carrega.

Me carrega que eu sou.
Me carrega que eu sei.
Eu e você outra vez

.
.
.

Me disseram que tudo acabaria bem...
Mas o que pode estar bem quando se está tudo acabado ?

.
.
.

A fruta verde é amarga.
Já a madura, saborosa.
A morte deve ser doce.

.
.
.

.
.
.

Uma poesia antes de dormir como moeda atirada ao poço.

.
.
.

O agora, now und jetzt.

.
.
.

Tecendo a metáfora
Contralto e agudo
Escala de lua
Bem-me-quer
Pétala menor

.
.
.

Devia chorar agora, mas escrevo.
Talvez essas sejam as lagrimas do poeta.

.
.
.

.
.
.

- Difícil é achar um tema para poesia !
Tantos já batidos, outros encobertos
Os questionadores do ontem e o antagonismo de sempre
Se não há tema eu temo, temo que a poesia se acabe.

- Difícil é achar uma forma para poesia !
As de rimas fáceis
As de prosa e conto... (etc....)
Conto nos dedos quantas são

- Difícil mesmo é a poesia !

.
.
.

Frias poesias sem misterio
Beijos secos sem desejo
Ou qualquer coisa que rime ou faça sentido

- Casca aos porcos!!

Ou coisa nenhuma, tanto faz.
Mas que não me venha sentido sentir.

.
.
.

A poesia datada no tempo;
Futuro do pretérito que nunca virá.
Imperfeito
Mais-que-imperfeito

.
.
.

Um mais um...
Um mais um...
Uns tantos que já são um.